Páginas

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Porque a vida não precisa fazer sentido.

Se por um lado ela não é como queremos, precisamos tomar atitudes para aceita-la como ela se coloca.

domingo, 6 de novembro de 2011

Arte

A arte surge na capacidade,
Passeia pela liberdade
e termina na escolha.
Qualquer exceção, não passa de uma...

sábado, 15 de outubro de 2011

Hábitos e costumes

Já temos as restrições inerentes a estarmos vivos, então para que ainda inventar e/ou aceitar as convenções?

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Buraco negro

Buraco negro é o destino de todos aqueles pensamentos que temos, não escrevemos, e depois não conseguimos encontrar.

domingo, 11 de setembro de 2011

Relativização dos relacionamentos

Durante a vida precisamos de algo seguro e garantido, para, enquanto caminharmos sobre o tempo podermos olhar para este ponto e ver o quanto mudamos de onde estavamos e para onde estamos indo.

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Mudança de perspectiva

Em algum ponto de nossas vidas a contagem do tempo deixa de ser progressiva e passa a ser regressiva.

domingo, 28 de agosto de 2011

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Pra que a pressa?

Você vai ter todo o tempo para precisar ser maduro, então para que essa vontade de ser agora? Aproveitar a diferença de se poder e ser é essencial.

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Instinto de sobrevivência

Brigamos diariamente para que possamos atravessar a vida com o máximo de saúde e conforto para no fim chegar no mesmo lugar.
O que é o tempo senão o que fazemos com ele?

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Discussão entre dois pontos

...No meio de uma conversa inusitada um rapaz pergunta a um mendigo o que ele menos gostava de sua vida atualmente:
-De não poder tomar banho - Prontamente respondeu
Ponderou sobre aquilo e concordou, logo pensando e perguntando:
- E o que você mais gosta atualmente?
Pensou e respondeu o mendigo:
- De não precisar tomar banho...
Escondida naquela frase havia um segredo da vida, mais complexo do que qualquer um dos dois pudesse pensar.

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Havia uma pedra no meio do caminho

Inventamos moinhos de vento, para poder ter porque seguir a vida.
Mas, quem somos nós, se não pudermos escolher nossos próprios moinhos de vento?

domingo, 10 de julho de 2011

sábado, 25 de junho de 2011

Diferenças

Adoro pessoas que gostam do que eu não gosto.
Sinto como se, no mundo, existisse espaço para todo mundo.

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Coração do lado da razão

Ele nasceu diferente. Um pequeno erro genético colocou seu coração no lado direito do peito e não no esquerdo. Naquela cidade não se sabia de outra pessoa que sofria do mesmo mal: nascer com o coração no mesmo lado da razão.

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Felicidade

A criatividade é item essencial para a felicidade.
(A realidade é muitas vezes muito insuportável)

domingo, 3 de abril de 2011

Dualidade

Perfeitos opostos o céu e a terra
enfrentam-se constantemente à procura de domínio
Entre tempestades e erupções vulcânicas
a única certeza que temos é que ele se encontram no horizonte.

Mas, pensando por outro minuto
o único lugar que o céu e a terra se encontram
é dentro da nossa cabeça.

sábado, 12 de fevereiro de 2011

Niestzche

E os que foram vistos dançando, foram julgados insanos,
pelos que não conseguiam ouvir a música!

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

As vezes...

... gostaria de ter dinheiro o suficiente para comprar o direito de falar algumas coisas para algumas pessoas que confundem respeito com imposição.

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Realidade?

No mundo é tudo mesmo uma questão de opinião

O que é a verdade se não uma mentira contada infinitas vezes por pessoas que acreditam demais e perguntam de menos?

Qual a sua realidade?

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Lar

Era uma casa muito bem cuidada. A ávida dona de casa tinha um olhar afiado para garantir que nada estivesse fora do lugar.

Impecável era a palavra que melhor descreveria aquele lugar. Nenhuma das paredes faltava tinta, nenhum objeto quebrado, nenhum móvel com desgaste de uso, nenhuma bagunça por arrumar. Se fosse comparar com uma obra de arte, seria uma intocada estátua.

Impecável, com certeza, porem morta. Qualquer tipo de vida que tentava deixar o registro de que algum dia passou por ali era impedida previamente, ou apagada posteriormente. Todos os movimentos dentro daquele espaço deveriam ser sutis, apagados e pálidos. O brilho daquele ambiente talvez servisse apenas para isso, refletir o vazio que era forçado para dentro de todos que passavam por ali.

Viver desgasta.